PROVIDÊNCIAS QUE A GENERAL MOTORS DO BRASIL DEVE TOMAR

Seção dedicada ao grupo Monzeiros Curitiba. Participe!

Moderador: david crozeta

Avatar do usuário
mspagiari
Membro Classic (Ní­vel 7)
Mensagens: 727
Registrado em: 03 Abr 2015, 00:22
Cidade: Itanhaem
Estado: São Paulo-SP
Modelo: Monza Club
Motor: 2.0
Ano: 1994
Combustível:: Gasolina
Injeção: EFi

Re: PROVIDÊNCIAS QUE A GENERAL MOTORS DO BRASIL DEVE TOMAR

Mensagem não lida por mspagiari »

Outra recomendação, MUITO, mas muito cuidado com peças paralelas.

Ontem a tampa do distribuidor q troquei há 3 meses (XING LING) deu problema, sorte q tinha a velha DELPHI no porta malas.

E foi bem na hora q minha filha chegou da escola com um baita galo na cabeça (ainda bem q foi só susto apos o médico ver o RX).

Tive q trocar a tampa a noite mas deu td certo.
monza club 1994 azul
ex-monza 1989 sle preto

Ferrazzini
Mensagens: 2
Registrado em: 07 Out 2018, 09:59
Cidade: Caldas Novas
Estado: Goiás-GO
Modelo: Não tenho Monza :(
Motor: 1.8
Ano: 1993
Combustível:: Etanol
Injeção: EFi

Re: PROVIDÊNCIAS QUE A GENERAL MOTORS DO BRASIL DEVE TOMAR

Mensagem não lida por Ferrazzini »

MONZA E KADETT MORRENDO DO NADA? - Solução - Atualizado

Boa noite a todos.
Recentemente tipo este problema e resolvi e acredito que descobri o problema definitivamente.
No caso o carro é um Kadett 93 - álcool.
O carro morria do nada!
As vezes andava vários quilômetros, as vezes alguns metros, as vezes em alta rotação, as vezes em baixa.
Não se registrava nenhum código de erros na central pois todos os componentes estavam perfeitos em seu funcionamento.

Eu mesmo fiz a revisão dos seguintes itens;

Sistema elétrico inteiro verificado
Fiação inteira, desde da parte da frente até a trás, foi retirada e verificado. OK.
Central verificada tecnicamente, reconfigurada com os valores de referência de fábrica. OK.
Aterramento de todos os componentes verificado e testado. OK.
Relés e caixa de fusíveis testados. OK.
Pressão do combustível em 2 bars. OK.
Nível d'água. OK.
Regulagem do CO2 para álcool em 3,8 volts. OK.

Mecânica inteira verificada
Cabeçote retirado, plainado e trocado os retentores.

Itens trocados;
01 motor de passo. OK.
01 sensor MAP. OK.
01 módulo HEI. OK.
01 sensor de borboleta. OK.
01 bobina impulsora. OK.
01 bobina de ignição. OK.
01 jogo de cabos de velas resistivos - Bosh. OK.
01 jogo de velas - Bosh. OK.
01 bomba de combustível. OK.
01 filtro do pescador de combustível. OK.
01 filtro de ar. OK.
01 filtro de combustível. OK.
01 filtro de óleo. OK.
01 tampa do distribuidor. OK.
01 carcaça original do distribuidor. OK.
01 junta de cabeçote de aço. OK.
01 jogo de retentores das válvulas do cabeçote. OK.
Todas as mangueiras novas incluindo a linha de combustível. OK.

...e ainda assim do nada o carro morria do nada.

Depois de toda esta revisão, o defeito persistia, então resolvi vender o Kadett... triste!
Mas perceberão qual peça ainda não havia sido trocada?
Isso mesmo, O ROTOR do distribuidor!
Por último, olhando pro ROTOR percebi que na chapinha que faz o contato com o carvão da tampa do distribuidor estava com uma pequena mancha preta.
Então lixei e raspei toda a chapinha.
Instalei e o carro e houve uma boa melhora.
Mas ao dar uma volta voltou a morrer do nada, porém com menor frequência.
Comecei a investigar melhor novamente.
Retirei o ROTOR e com um multiteste percebi que não existe condutibilidade entre o ponto preto, formado pela faísca que vem do grafite da tampa do distribuidor, e a ponta do ROTOR onde sai a faísca.
Mas movimentando a ponta do multiteste para fora do ponto preto na chapinha ENTÃO a condução elétrica voltava ocorrer.

RESUMINDO.
Ao cair a faísca do grafite da tampa do distribuidor para a chapinha do ROTOR, com o tempo vai queimando este metal (a chapinha) e ela perde a condução elétrica da faísca e portanto não ocorre a faísca nas velas.
Além disso o consumo aumenta consideravelmente.

Postei uma alternativa que chamo de definitiva.
Peguei um rotor VELHO e criei a idéia conforme a foto.

Além deste ROTOR queimado outra parte do distribuidor que merece muita atenção é a mola que existe entre o grafite e o pino central da tampa do distribuidor.
Esta mola é tão frágil que com o tempo ou ela se rompe ou cria zinabre. Estas duas situações também ocasionam mal contato.

Portanto caso venha a fazer a idéia que criei e postei aqui é impostante também trocar a tampa.
Recomendo a tampa do distribuidor da Delphi. A minha durou 5 anos. A qualidade dos pinos desta tampa são excelentes.

RESULTADO
O caro funcionou sem nenhuma falha, mesmo as mínimas e está mais seguro, suave nas acelerações e respostas.
Espero ter ajudado.
Você não está autorizado a ver ou baixar esse anexo.
Editado pela última vez por Ferrazzini em 11 Out 2018, 12:12, em um total de 2 vezes.

Avatar do usuário
proveyron
Membro GL (Ní­vel 2)
Mensagens: 117
Registrado em: 27 Nov 2015, 16:50
Cidade: Rio de Janeiro
Estado: Rio de Janeiro-RJ
Modelo: Monza SLE
Motor: 2.0
Ano: 1990
Combustível:: Gasolina
Injeção: Carburador

Re: PROVIDÊNCIAS QUE A GENERAL MOTORS DO BRASIL DEVE TOMAR

Mensagem não lida por proveyron »

Ferrazzini escreveu:
09 Out 2018, 22:12
MONZA E KADETT MORRENDO DO NADA? - Solução

Boa noite a todos.
Recentemente tipo este problema e resolvi e acredito que descobri o problema definitivamente.
No caso o carro é um Kadett 93 - álcool.
O carro morria do nada.
As vezes andava vários quilômetros, as vezes alguns metros, as vezes em alta rotação, as vezes em baixa.
Não se registrava nenhum código de erros na central pois todos os componentes estavam perfeitos em seu funcionamento

Eu mesmo fiz a revisão dos seguintes itens;

Sistema elétrico inteiro verificado
Fiação inteira, desde da parte da frente até a trás, foi retirada e verificado. Tudo OK.
Central verificada tecnicamente, reconfigurada com os valores de referência de fábrica. Tudo OK.
Aterramento de todos os componentes verificado e testado. Tudo OK.
Relés e caixa de fusíveis testados. Tudo OK
Pressão do combustível em 2 bars. Tudo OK
Nível d'água. Tudo OK

Mecânica inteira verificada
Cabeçote retirado, plainado e trocado os retentores.

Itens trocados;
01 motor de passo
01 sensor MAP
01 módulo HEI
01 sensor de borboleta
01 bobina impulsora
01 bobina de ignição
01 jogo de cabos de velas resistivos - Bosh
01 jogo de velas - Bosh
01 bomba de combustível
01 filtro do pescador de combustível
01 filtro de ar
01 filtro de combustível
01 filtro de óleo
01 tampa do distribuidor
01 carcaça original do distribuidor
01 junta de cabeçote de aço
01 jogo de retentores das válvulas do cabeçote

...e ainda assim do nada o carro morria do nada.

Depois de toda esta revisão e ainda o defeito ainda existente resolvi vender o Kadett... triste.
Mas perceberão qual peça ainda não havia sido trocada?
Isso mesmo, O ROTOR do distribuidor!
Por último olhando pro maldito ROTOR percebi que na chapinha que faz o contato com o carvão da tampa do distribuidor estava com uma pequena mancha preta.
Então lixei e raspei toda a chapinha.
Instalei e o carro teve uma melhora.
Ao dar uma volta voltou a morrer do nada, porém com menor frequência.
Comecei a investigar melhor.
Retirei o ROTOR e com um multiteste percebi que não existe condutibilidade entre o ponto preto e a ponta do ROTOR onde sai a faísca.
Mas movimentando a ponta do multiteste para fora do ponto preto na chapinha ENTÃO a condução elétrica estava OK.
RESUMINDO.
Ao cair a faísca do grafite da tampa do distribuidor para a chapinha do ROTOR com o tempo vai queimando este metal (a chapinha) e ela perde a condução elétrica da faísca e portanto não ocorre a faísca nas velas.
Além disso o consumo aumenta consideravelmente.

Postei uma alternativa que chamo de definitiva.
Peguei um rotor VELHOR e criei a ideia conforme a foto.
Resultado é o caro sem falhas, mesma as mínimas e mais seguro, suave nas acelerações e respostas.
Espero ter ajudado.
Muito bom amigo, apesar do meu carro não ser EFI, estou acompanhando este tópico por ser bem interessante, vamos aguardar dos amigos o retorno caso façam este teste.

No rotor do meu carburado, eu fiz algo parecido, soldei um fio ligando o contato central ao externo, um "jumper", isso aumenta muito a vida útil do rotor, e também melhora a faísca, em contrapartida, isto diminui drasticamente a vida útil do carvão, no meu caso o último que troquei não durou 5 mil km.

De qualquer forma isto não me incomoda, pois é bem barato (cerca de 2 reais cada) e eu apenas o adicionei à lista de itens que são trocados a toda troca de óleo.

Valeu.

Avatar do usuário
LeoStrop
Membro GL (Ní­vel 2)
Mensagens: 102
Registrado em: 02 Jul 2018, 18:32
Cidade: Paraty
Estado: Rio de Janeiro-RJ
Modelo: Não tenho Monza :(
Motor: 1.8
Ano: 1994
Combustível:: Etanol
Injeção: EFi

Re: PROVIDÊNCIAS QUE A GENERAL MOTORS DO BRASIL DEVE TOMAR

Mensagem não lida por LeoStrop »

Ferrazzini escreveu:
09 Out 2018, 22:12
MONZA E KADETT MORRENDO DO NADA? - Solução
.....


Ferrazzini,

Obrigado pela dica meu amigo, no meu caso a sua solução faz sentido pois quando eu comprei o Kadett, rodei 500km pra voltar pra casa, e o carro não morreu nenhuma vez. Quando parei o carro no segundo dia em casa, ele não quis funcionar mais por culpa da bobina impulsora. Troquei ela mas juntamente com a tampa rotor e módulo Hei, depois disso o carro funcionou mas com esse problema de morrer.

Achei muito difícil ser o rotor pois o novo é um Delphi e o antigo já estava bem velho (acredito que era o original, tinha escrito Ac Delco Remy). Mas vou retirar o novo e comparar com o antigo pra ver quais as diferenças entre eles, e testar com multímetro.

Avatar do usuário
mspagiari
Membro Classic (Ní­vel 7)
Mensagens: 727
Registrado em: 03 Abr 2015, 00:22
Cidade: Itanhaem
Estado: São Paulo-SP
Modelo: Monza Club
Motor: 2.0
Ano: 1994
Combustível:: Gasolina
Injeção: EFi

Re: PROVIDÊNCIAS QUE A GENERAL MOTORS DO BRASIL DEVE TOMAR

Mensagem não lida por mspagiari »

Creio dificil ser o rotor, ja troquei e nada...

Porem vou tentar isso ai e aproveitar para reforçar com estanho os terminais da bobina impulsora.

Se nao resolver vou trocar o distribuidor, de preferencia original... defeito chato....
monza club 1994 azul
ex-monza 1989 sle preto

Ferrazzini
Mensagens: 2
Registrado em: 07 Out 2018, 09:59
Cidade: Caldas Novas
Estado: Goiás-GO
Modelo: Não tenho Monza :(
Motor: 1.8
Ano: 1993
Combustível:: Etanol
Injeção: EFi

Re: PROVIDÊNCIAS QUE A GENERAL MOTORS DO BRASIL DEVE TOMAR

Mensagem não lida por Ferrazzini »

Bom dia.
Vou postar hoje ainda mais uma particularidade deste problema que percebi ontem.
Existe uma frágil mola entre o pino central da tampa do distribuidor é o grafite da tampa do distribuidor.
Se ela estiver partida ou enferrujada também ocorre este problema. Após trocar trocar estas duas peças acabaram meus problemas deste tipo.
Então são dois problemas, rotor e mola da tampa do distribuidor.
Faça este rotor que postei e coloca uma tampa da Delphi.
Esta marca é excelente, muito resistente.
A minha já tinha uns 5 anos só agora deu problema na mola interna.

Avatar do usuário
Gilmar Martins
Membro Classic (Ní­vel 7)
Mensagens: 940
Registrado em: 13 Jan 2015, 07:49
Cidade: Novo Horizonte
Estado: São Paulo-SP
Modelo: Monza Classic SE
Motor: 2.0
Ano: 1991
Combustível:: Gasolina
Injeção: MPFi

Re: PROVIDÊNCIAS QUE A GENERAL MOTORS DO BRASIL DEVE TOMAR

Mensagem não lida por Gilmar Martins »

Boa tarde pessoal, sobre tampa e rotor só uso da Bosch. Faz 28 anos que possuo Monza nunca tive problemas
Tive 3 monzas SLE 85, CLASSIC 86, SLE 90. Atualmente tenho um MPFI 91/92 e um CLASSIC 90. Sempre substituo logo que adquiro e nunca mais precisei faze-lo novamente. Um deles, CLASSIC 86 usei o monza mais de 8 anos. :D
Abraços,
Gilmar
Vectra 97 GLS

Avatar do usuário
dutra s a
Membro Classic SE (Ní­vel 8)
Mensagens: 2254
Registrado em: 29 Abr 2010, 23:31
Cidade: SP
Estado: São Paulo-SP
Modelo: Monza GLS
Motor: 2.0
Ano: 1994
Combustível:: Etanol
Injeção: EFi

Re: PROVIDÊNCIAS QUE A GENERAL MOTORS DO BRASIL DEVE TOMAR

Mensagem não lida por dutra s a »

o unico problema que já tive com rotor foi apenas sujeira na lamina de centro , limpei e voltou a pegar , faz muitos anos ,,,com tampa nunca tive e olha que ja andei com uma tampa estando com o carvao la dentro trincado em rsrsr

mas confesso que fiquei curioso com essa modificaçao no rotor , sera que a conduçao melhora mesmo ?

afinal o rotor efi tem 2 laminas, é isso ?

abs estamos ai
CAÇA 94 GLS F 18WR+ ETANOL X 2.0 E.F.I. - DCR

Responder