Desânimo na reforma do Classic SE 92/93

Deixou seu Monza 0 km novamente ou trabalhando para isso? Esta é a seção!
Avatar do usuário
Lucas Flores Pozzer
Membro GL (Ní­vel 2)
Mensagens: 81
Registrado em: 22 Jan 2019, 15:11
Cidade: Caxias do Sul
Estado: Rio Grande do Sul-RS
Modelo: Monza Classic SE
Motor: 2.0
Ano: 1992
Combustível:: Gasolina
Injeção: EFi

Desânimo na reforma do Classic SE 92/93

Mensagem não lida por Lucas Flores Pozzer »

Olá amigos, como muitos sabem, possuo um Monza Classic a 1 ano e 7 dias, e tenho planos de restaurar ele, ele é maravilhoso, tudo o que um Monza pode oferecer em conforto e opcionais, mas ultimamente tive muitos problemas com alternador, (tive que chamar um guincho a 100km de casa), gastei bastante dinheiro, e o que antes era prazer de se andar com ele se tornou muito medo de ficar empenhado, e desânimo em consertar, pois vai muito dinheiro e nunca fica bom, pode ser fruto do "profissional" No qual eu levo meu carro para consertos, vou guardar um bom dinheiro e vou "internar" Ele no melhor eletricista da cidade, e só vou tirar quando estiver 100%

Fico muito triste com essa situação, mas ainda tenho esperanças, e dessa vez levarei até o melhor dos melhores eletricistas da cidade, para ver se resolvo esta enorme dor de cabeça e angústia... :(

Desculpe o desabafo, mas precisava contar meu desespero para alguém.
-CHEVROLET MONZA - A LIGAÇÃO ENTRE O HOMEM E A MÁQUINA-
-CLASSIC SE 1992/1993 2.0 EFI PRETO MEMPHIS-

Avatar do usuário
Luiz Carlos (Rio)
Membro 500EF (Ní­vel 9)
Mensagens: 4074
Registrado em: 15 Dez 2006, 11:22
Cidade: Rio de Janeiro
Estado: Rio de Janeiro-RJ
Modelo: Monza GLS
Motor: 2.0
Ano: 1994
Combustível:: Gasolina
Injeção: EFi

Re: Desânimo na reforma do classic se 92/93

Mensagem não lida por Luiz Carlos (Rio) »

Lucas

Deixa eu te contar uma história.

Em 1998 comprei o carro com o qual eu tanto sonhara: um Monza GLS 2.0 94/95 vermelho Goya perolizado, completíssimo. Ele estava com somente 28 mil km rodados, comprovados pelo livreto de revisões.
Rodei durante alguns anos com ele sem problema algum.
Até que, um dia, na rodovia Castelo Branco, sentido capital, o ar condicionado repentinamente parou de funcionar. Nem a ventilação funcionava mais. A ventilação e o ar condicionado do Monza só funcionam se o alternador estiver gerando corrente normalmente.
Olhei para o painel com atenção e não vi nada de errado. O voltímetro estava indicando voltagem normal e a luz de bateria estava apagada.
Parei no primeiro posto, que tinha uma oficina elétrica do lado, e pedi ao eletricista que desse uma olhada. Eu não tinha nenhuma ferramenta para isso.
O cara tirou a tampa de fusíveis, futucou aqui e ali e condenou logo de cara o alternador.
Perguntei em quanto ficava o conserto e ele chutou 400 reais. Isso foi há 20 anos atrás, era muito dinheiro.
Mesmo pagando, ele não garantia nada, pois não tinha todas as peças que poderiam ser necessárias.
Disse que poderia consertar o ar condicionado.
Quando ele disse isso, perdi o pouco de confiança no cara.
Como a voltagem estava boa e a luz de bateria apagada, resolvi prosseguir viagem até a capital, onde tenho um irmão, e ele me indicaria um eletricista confiável.
Caraca! peguei um engarrafamento monstro. Depois de alguns minutos de volta à estrada, a voltagem no painel começou a baixar, e a luz de bateria acendeu fraquinha.
Eu nem freava mais, para não gastar eletricidade. Usava o freio de mão. Fiquei com medo do motor esquentar, pois o ventilador do radiador é elétrico.
Consegui chegar na casa do meu mano, em Parada de Taipas.
Levamos o carro a um eletricista, que substituiu diodos, rolamento principal, regulador, etc.
Ah, o alternador do meu Monza era um Delco Remy de 80 amperes, fabricado na Coréia do Sul.
Tudo trocado, o carro aparentemente ficou bom. Gastei 125 reais de peças e mão de obra.
Mas eu notei um detalhe que não vou falar agora, para não dar spoiler. :lol:
Voltei para o Rio de Janeiro, rodei algum tempo com o carro e...o problema voltou!
Como todo mundo, acho que até aqui no fórum, dizia que o Delco Remy coreano era uma porcaria, fui procurar um alternador novo.
Encontrei remanufaturado (totalmente refeito pela Wapsa, antiga fábrica de alternadores) a 460 reais, o preço mais baixo.
Aí apareceu uma oferta de alternador Bosch de 75 amperes, novo, na Altese, a 396 reais.
Corri para a loja citada e saí de lá com um Bosch novinho pra chamar de meu.
Instalei o alternador e...pqp! A pane continuou!
Era pra desanimar, né? Fiquei igual como você está agora. Como resolveria esse problema, já que um alternador novo não resolveu?
Como eu escrevi lá em cima, em São Paulo, enquanto observava o eletricista remover e reinstalar o alternador, eu notei algo preocupante: o cabo de saída do alternador estava muito fino e com fita isolante envolvendo a extremidade que pega no alternador.
Levantei o carro, entrei em baixo e vi que o cabo estava todo destruído. Muitos fios estavam partidos, com zinabre até a alma.

Para encurtar a conversa: Procurei na mesma Altese um chicote novo. Estava em oferta por 100 reais.
Instalei o novo chicote e fui feliz até minha filha atropelar alguns blocos de concreto, que destruíram a parte de baixo do carro, caixa de câmbio rachou, estouraram todas as mangueiras, o radiador. Perda total! :(

Passamos agora para a segunda temporada.
Eu havia comprado esse meu atual Monza, GLS 2.0 94, não tão completo quanto o anterior, mas também um bom Monza.
A primeira coisa que fiz foi verificar o chicote do alternador dele.
Não deu outra. Estava também em mau estado. Como não consegui um chicote novo, tirei o velho e pedi a um eletricista para refazer a ponta que pega no alternador. Ele cortou uma polegada do cabo, soldou um novo olhal, e fiquei mais tranquilo.
Há pouco tempo voltou a dar problema, e eu modifiquei o chicote. Removi a parte danificada, que vai do motor de arranque até o alternador, e instalei dois cabos novos no lugar. Agora, ao invés de um, tem 2 cabos na saída do alternador.
Meu alternador Bosch remanufaturado pela Wapsa, que veio nesse Monza, deu problema de regulador. Substituí e o regulador durou muito pouco.
Aí tive a ideia de pegar meu velho alternador Delco Remy de 80 amperes, guardado no sótão.
Instalei e está no Monza até hoje. Deve ter alguns anos já. Até escrevi aqui no fórum a história dele.

Para terminar, não desanime. O Monza é um carro que merece que você gaste (desde que tenha disponível, claro) um pouco mais, tipo trocar o alternador, etc, para ter ele de novo confiável. O pior carro é aquele que você tem medo de tirar da garagem e passar sufoco (ou vergonha) no meio do trânsito ou numa estrada.

Uma boa revisão no alternador (e no cabo que eu citei, que é muito comum dar zinabre e ficar imprestável), e você terá de volta um carro que costuma dar muito prazer de dirigir, apesar da idade dele.

Abs
Luiz Carlos
Monza GLS 2.0 -1994 EFI 2 portas - gasolina - prata argenta
Rio de Janeiro - RJ

Avatar do usuário
mspagiari
Membro Classic (Ní­vel 7)
Mensagens: 727
Registrado em: 03 Abr 2015, 00:22
Cidade: Itanhaem
Estado: São Paulo-SP
Modelo: Monza Club
Motor: 2.0
Ano: 1994
Combustível:: Gasolina
Injeção: EFi

Re: Desânimo na reforma do Classic SE 92/93

Mensagem não lida por mspagiari »

Amigo, tenho o atual Monza há 5 anos, no mês passado o alternador parou de carregar.

Como tenho alguma experiência, testei com multímetro e vi q estava descarregando a bateria, estava em 11 volts e pouco ligado, sem contar a bateria quente.

Levei no único auto-elétrico q confio, ele trocou apenas o regulador (na etiqueta era um gauss fabricado em 2007!!!) por um Bosch e ficou bom, 200 contos tudo.

Só não troquei eu mesmo pq não tenho saúde, o acesso é difícil.

Isto não é motivo de desanimar, todo carro q tive deu dor de cabeça e acredito q todo carro tb dá.

O Fusca 73 q tive, o tão falado "tanque de guerra", quebrou o chapéu de napoleão, ou seja, rachou no meio.
O Escort XR3 conversível, sonho de consumo da época foi o q mais me deu zica, nem vou enumerar os problemas aqui, não cabe.

O Civic automático de meu cunhado (impecável) travou o cambio no interior de MG, 7 mil de prejuízo.

Os carros q menos deram problema foi o Monza 88 q tive e o meu atual, e olha q este atual o ex-dono judiou.

Tive tb um Puma GTS ano 78 q quase não deu problema, porém foi TODO reformado, praticamente refeito, td, motor, câmbio, elétrica, funilaria e pintura, tudo.

O Monza tem suas vantagens, uma delas é a durabilidade, dos 10 carros q tive(Fiat, GM, Ford, VW), o melhor no quesito durabilidade e conforto tb.

Ou este auto elétrico q levou é ruim, ou a peça é ruim. Peça sempre garantia seja o carro q for,

Abs.
monza club 1994 azul
ex-monza 1989 sle preto

Avatar do usuário
Lucas Flores Pozzer
Membro GL (Ní­vel 2)
Mensagens: 81
Registrado em: 22 Jan 2019, 15:11
Cidade: Caxias do Sul
Estado: Rio Grande do Sul-RS
Modelo: Monza Classic SE
Motor: 2.0
Ano: 1992
Combustível:: Gasolina
Injeção: EFi

Re: Desânimo na reforma do Classic SE 92/93

Mensagem não lida por Lucas Flores Pozzer »

Luiz Carlos
Tem razão amigo, o Monza realmente é um carro que merece que se gaste um pouco mais de dinheiro, e também não podemos ser tão exigentes com um carro com mais de 25 anos :lol:

Agora a pouco acabou de chegar o farol original Cibié com regulagem que eu havia comprado pelo ML, e agora estou bem mais feliz!

Foi apenas uma recaída, mas não adianta, carro mais antigo é isso mesmo, mas tenho 100% de certeza que com a ajuda de todos os amigos aqui do fórum irei deixar este automóvel impecável, e volto a repetir que sou impressionado com a assistência que este fórum tem, com os colegas amantes do Monza que estão sempre nos ajudando, e pela estrutura disso tudo de uma certa forma.

Vou seguir em frente e vou continuar a resolver os problemas dele um a um, afinal, adoro ele :D
Queria agradecer mais uma vez a todos os amigos, que de uma forma ou outra fazem tudo isso valer a pena, vocês são demais! :ok:

E também, antes de mais nada, eu aproveitei e refiz todo o chicote da bateria/arranque/alternador, seguindo suas dicas Luiz, ficou excelente, realmente estava quebradiço e todo cheio de zinabre.

Com relação a sua história "cômica" (ou nem tanto), kkkkkk! Sempre tem uns ou outros oportunista, mas também serve para aprender, como tudo na vida, vou seguir em frente, consertando e de preferência buscando profissionais a altura, kkkkkk!

Abs Lucas
-CHEVROLET MONZA - A LIGAÇÃO ENTRE O HOMEM E A MÁQUINA-
-CLASSIC SE 1992/1993 2.0 EFI PRETO MEMPHIS-

Responder