TESTE LAMPEJANTE DA IGNIÇÃO ELETRÔNICA

Tem alguma dica sobre manutenção? Divulgue! Leia e mantenha seu Monza em dia!
Avatar do usuário
waldir
Membro 500EF (Ní­vel 9)
Mensagens: 3640
Registrado em: 18 Mai 2008, 09:19
Cidade: Campinas
Estado: São Paulo-SP
Modelo: Monza GLS
Motor: 2.0
Ano: 1995
Combustível:: Etanol
Injeção: EFi

TESTE LAMPEJANTE DA IGNIÇÃO ELETRÔNICA

Mensagem não lida por waldir »

TESTE LAMPEJANTE DA IGNIÇÃO ELETRÔNICA – MULTEC 700 – ROCHESTER/DELPHI – LINHA GENERAL MOTORS

Reeditado em virtude das fotos armazenadas no ImageShack e Tinypic não serem mais gratuitas e uma série delas se tornaram indisponíveis para veiculação automática nas matérias que emiti aqui nos Monzeiros
Mensagem por waldir » Dom, 22/03/2015 - 14:35 PM (ORIGINAL)

Indicação de defeito

A unidade de comando assume como defeito os valores que estão nos extremos.
Quando é apresentado um dos valores extremos (0 ou 5 volts), a CPU/UCE reconhece como defeito (tensão muito baixa ou muito alta).
Nesse momento, ela começa a trabalhar com outras informações e imediatamente, avisa ao condutor através de uma lâmpada piloto um
possível defeito no sistema.
Esse defeito é gravado em código na memória de acesso aleatório (memória RAM) que poderá ser acessado para facilitar a busca do defeito.

Rastreamento dos códigos de defeitos

Como já foi descrito anteriormente, os defeitos ficam armazenados em códigos numa memória temporária (RAM) e pode ser checado os
seus dados posteriormente.
Para checar os códigos gravados na memória RAM é necessário um equipamento chamado "SCANNER" ou por Rastreamento.

Rastreando defeitos sem o scanner

Alguns sistemas de injeção digital permitem o rastreamento dos códigos de defeito sem a necessidade do scanner, por meio
de códigos de piscadas.

Abaixo seguem os sistemas que permitem esse recurso:
- Rochester Multec 700;
- Delphi Multec EMS; - FIC EEC-IV;- Bosch Motronic M1.5.2 Turbo;
- Bosch Motronic M1.5.4;

Em todos os casos deve-se ter uma tabela com os códigos de defeito.
Obtendo os códigos de defeitos

Todo processo se inicia por um jumper nos terminais do conector de diagnóstico ALDL.
Logicamente para cada tipo de conector há um processo diferente na ligação. Mas, vamos focar aqui somente no caso dos Monzas EFI.

A localização do conector ALDL do Monza/Kadett e Ipanema EFI fica no lado direito interno da cabine e abaixo do porta- luvas como podem verificar nas fotos abaixo. A configuração mais comum é onde se vê a conexão A e B em vermelho.
[Nos Omegas 2.2 e 4.1 fica sob o painel lado do motorista]

Imagem

Imagem

Imagem

O jumper pode ser feito até com um clips de papel aberto, mas com extensão suficiente para o manuseio devido o conector estar
longe da borda da capa plástica que protege o Conector ALDL e a UCE.

Após feito o “jumpeamento” ao se ligar a chave de ignição, a lâmpada indicadora de anomalias no sistema de injeção localizada no painel de instrumentos começará a piscar.

[OBS.: o jump no A e B também coloca a UCE em "modo de ajuste" (CO e avanço do distribuidor- 'ponto') mas, para isso é necessário que o motor esteja bem quente, isto é, após ter ligado a ventoinha 2 vezes e o jump se faz com o motor ligado e ao fazê-lo a ventoinha vai ser acionada na 2ª velocidade]

1- Após feito o jumper,
2- Liga-se a chave de ignição,
3- A lâmpada indicadora de anomalias no sistema de injeção localizada no painel de instrumentos começará a piscar.
4- A ventoinha é acionada.
5- É justamente essas piscadas que iremos utilizar para descobrir qual o defeito gravado na memória RAM.

As piscadas ocorrem numa sequência lógica que vale para todos os sistemas de injeção cuja unidade de comando permite esta estratégia.

Segue abaixo um exemplo:

Imagem

PISCA PISCA PAUSA CURTA - PISCA PISCA PISCA PISCA PISCA PAUSA LONGA
Observe que ocorreram duas piscadas e uma pausa curta. Em seguida mais cinco piscadas e uma pausa longa.
As duas piscadas antes da pausa curta representa a dezena e as cinco piscadas após a pausa curta representa a unidade. Sendo assim, obtivemos o código 25.

Vamos a um outro exemplo:
PISCA PISCA PISCA PAUSA CURTA - PISCA PISCA PAUSA LONGA
Creio que agora você já saiba qual o código de defeito. Se você pensou 32 está correto.
Cada código é repetido 3 vezes até passar para o próximo código. Sendo assim, se tivermos os códigos 25 e 32 gravados a sequência será:

PISCA PAUSA CURTA - PISCA PISCA PAUSA LONGA
PISCA PAUSA CURTA - PISCA PISCA PAUSA LONGA
PISCA PAUSA CURTA - PISCA PISCA PAUSA LONGA
PISCA PISCA PAUSA CURTA - PISCA PISCA PISCA PISCA PISCA PAUSA LONGA
PISCA PISCA PAUSA CURTA - PISCA PISCA PISCA PISCA PISCA PAUSA LONGA
PISCA PISCA PAUSA CURTA - PISCA PISCA PISCA PISCA PISCA PAUSA LONGA
PISCA PISCA PISCA PAUSA CURTA - PISCA PISCA PAUSA LONGA
PISCA PISCA PISCA PAUSA CURTA - PISCA PISCA PAUSA LONGA
PISCA PISCA PISCA PAUSA CURTA - PISCA PISCA PAUSA LONGA
Veja que a sequência de códigos foram: 12 - 12 - 12 - 25 - 25 -25 - 32 - 32 - 32

Na linha GM o código 12 significa sem sinal de rotação. Como o motor vai estar parado no momento da verificação, esse código não é considerado defeito. Assim, caso o sistema não apresente nenhum defeito, somente o código 12 será apresentado.

O sistema faz um looping, ou seja, assim que os códigos terminarem, volta a se repetir novamente.

Segue abaixo a tabela com os códigos lampejantes.

DESCRIÇÃO DOS CÓDIGOS LAMPEJANTES do MONZA EFI

12 Sem sinal do sensor de rotação e PMS (normal porque o motor está desligado)

14 Sensor de temperatura do líquido de arrefecimento CTS - tensão baixa = Temp. Alta
15 Sensor de temperatura do líquido de arrefecimento CTS - tensão alta = Temp. Baixa

21 Sensor de posição de borboleta de aceleração TPS - tensão alta = Borb. Aberta
22 Sensor de posição de borboleta de aceleração TPS - tensão baixa = Borb. Fechada

24 Sem sinal do sensor de velocidade – VSS = Falta sinal do sensor

33 Tensão alta no sensor de pressão absoluta – MAP = pode ser mangueira furada, rachada
34 Tensão baixa no sensor de pressão absoluta – MAP = pode ser mangueira entupida, dobrada.

35 Falha no atuador de marcha lenta - IAC = fora dos limites

42 Falha no controle do avanço da ignição (Multec 700) ou seja, falha na comunicação do Módulo HEI com a UCE

51 Substitua o EPROM da ECM/ECU

54 Potenciômetro de ajuste de CO fora da faixa/falha no circuito (Multec 700)

55 Defeito na unidade de comando ECU/ECM – substituir

REEDITADO EM 12.10.2019
waldir
MONZA - GLS 95 2.0 EFI - Alcool - Vermelho Goya

Responder