TESTE NO SENSOR MAP - ATUALIZAÇÃO

Tem alguma dica sobre manutenção? Divulgue! Leia e mantenha seu Monza em dia!
Avatar do usuário
waldir
Membro 500EF (Ní­vel 9)
Mensagens: 3640
Registrado em: 18 Mai 2008, 09:19
Cidade: Campinas
Estado: São Paulo-SP
Modelo: Monza GLS
Motor: 2.0
Ano: 1995
Combustível:: Etanol
Injeção: EFi

TESTE NO SENSOR MAP - ATUALIZAÇÃO

Mensagem não lida por waldir »

TESTE NO SENSOR M A P

Reeditado em virtude das fotos armazenadas no ImageShack e Tinypic não serem mais gratuitas e uma série delas se tornaram indisponíveis para veiculação automática nas matérias que emiti aqui nos Monzeiros

Vide tópico originário: viewtopic.php?f=15&t=19282

(Manifold Absolute Pressure) Sensor da pressão absoluta no coletor de admissão
O MAP está localizado embaixo na lateral da “panela” do filtro de ar.


Imagem

Quando a UCE registra o código de defeitos(teste lampejante) do MAP temos:

33 – tensão alta no MAP = pressão alta = pode ser mangueira furada.

34 – tensão baixa no MAP = pressão baixa = pode ser mangueira entupida.

No caso 33 Veja se o apêndice do MAP não está trincado, troque a mangueirinha, dê a partida e veja se solucionou.

No caso 34 examine o apêndice do MAP onde encaixa a mangueira se não está entupido. Nos motores a Etanol pode ocorrer de encher de etanol na fase fria devido a baixa pulverização do Etanol com a parede fria do TBI ocorrendo da vibração da membrana ‘chupar’ Etanol pela mangueirinha.

O mesmo para o encaixe no TBI e no furinho (pode ocorrer da mangueira esfarelar e entupir).

As mangueirinhas devem ser examinadas com regularidade ou na limpeza do TBI ou da ventilação forçada do carter.

Para descobrir rapidamente se é o MAP que está provocando falhas no motor faça:

Desligue o conector elétrico (verde)

Dê a partida no motor e se a falha sumir ou for amenizada é um indicativo para a troca deste sensor.

Na dúvida, efetue os seguintes testes:

Bateria carregada e conector (verde) encaixado.

Imagem

É possível enfiar um clips aberto na traseira do conetor para efetuar a medição ao invés de furar os fios

Voltagem de entrada com o multímetro na escala 20 VDC (corrente contínua)
Ponta negativa do multímetro na massa ou negativo da bateria e a ponta positiva no fio cinza ou no “C” indicado no diagrama que segue. A Voltagem deverá estar ao redor de 5V (4,6 a 5,2 VDC)

Imagem

O fio preto amarelo “A” deve ter polaridade negativa. (ponta positiva do multímetro no polo positivo da bateria e o negativo no fio “A” deve acusar a carga da bateria 12,6V.
Verifique se há mau contado do conector, fio solto etc. Se estiver OK siga:

Voltagem de Retorno:
Conector e mangueira encaixada corretamente. Ligar o motor, deixar aquecer um pouco.
Ponteira negativa na massa e ponteira positiva no fio do meio do conector (verde) a voltagem deve estar em 1,2V ou no máximo 2,0 VDC. Voltagens superior a 2,0V pode estar condenado o MAP (são medições ao nível do mar) Quem estiver no planalto acima de 700m a voltagem menor poderá estar em 0,75 V

Provocam Variações no MAP: Entrada falsa de ar pelo servo-freio (válvula ou retentor); tomada de vácuo do canister; mangueirinhas da 'flauta de vácuo' ; posicionamento indevido da mangueira no TBI; falta de sincronismo na Correia Dentada.

Defeitos característicos:

Motor pega e morre em seguida; motor falhando; motor não abre giro/amarrado; alto consumo. As vezes acelera até 2000 a 3000 giros na lenta. É preciso desligar o motor para quebrar esse ciclo. (é confundido com defeito do sensor interruptor da borboleta)

Imagem

OUTRAS INFORMAÇÕES

O sensor de pressão absoluta do coletor de admissão, também chamado de sensor MAP, tem por função informar a UCE sobre as diversas variáveis da pressão do coletor de admissão, pressão esta chamada absoluta uma vez que se considera a pressão atmosférica ( 1 BAR ao nível do mar - aproximadamente).

No sistema de injeção este sensor tem uma papel fundamental, pois, é responsável pela indicação da carga do motor.
Com isso, a unidade de comando pode determinar o avanço ideal da centelha, substituindo o antigo avanço automático à vácuo do distribuidor.

O sensor de pressão absoluta é constituído por uma membrana resistiva (sua resistência varia de acordo com o grau de deformação dessa membrana) e é envolvido por um invólucro onde se formam duas câmaras, uma com pressão fixa ( 1 BAR ) e outra exposta à pressão do coletor).

Com a ignição ligada e o motor parado, o MAP já envia o primeiro sinal para a unidade de comando. Como não existe deslocamento de ar no coletor, a pressão interna é igual a externa (1 BAR ). Como uma das câmaras está em contato com o coletor, terá sua pressão também em 1 BAR, igual a pressão fixa da outra câmara. Com pressões iguais, a membrana resistiva fica imóvel.

Se funcionarmos o motor em marcha lenta, a borboleta de aceleração estará praticamente fechada. Com o motor funcionando, será criado uma depressão muito grande após a borboleta. Essa queda de pressão poderá chegar a 0,4 BAR.

Imagem

Com o motor em carga parcial, a pressão no coletor irá subir um pouco. Isso faz com que a membrana se deforme menos, fazendo com que a tensão de saída seja um pouco maior que a condição de marcha lenta.

Observe que a pressão do coletor é modificada de acordo com a posição da borboleta de aceleração. Quanto mais aberta, maior a pressão. Isso não significa que seja sempre assim. Podemos ter uma pressão mais baixa com a borboleta de aceleração aberta caso ela se mantenha nesta posição. Isso ocorre devido ao fator de aspiração do motor, que, em função da resistência do ar coletor, poderá provocar uma queda de tensão.

Imagem

É possível simular a aceleração com um dispositivo manual de vácuo conectado no apêndice do MAP. Porém nem todos possuem em casa o tal dispositivo.

waldir
07.09.19
MONZA - GLS 95 2.0 EFI - Alcool - Vermelho Goya

Avatar do usuário
mspagiari
Membro Classic (Ní­vel 7)
Mensagens: 727
Registrado em: 03 Abr 2015, 00:22
Cidade: Itanhaem
Estado: São Paulo-SP
Modelo: Monza Club
Motor: 2.0
Ano: 1994
Combustível:: Gasolina
Injeção: EFi

Re: TESTE NO SENSOR MAP - ATUALIZAÇÃO

Mensagem não lida por mspagiari »

Ótimo tópico.

Sexta notei o monzão acelerado na lenta.

Hj revisei a TBI e mangueiras e vi a do map rachada e a do canister solta, ou seja entrada de ar.

Consertei e remontei tudo, porem não sei o q houve (ja aconteceu isto qdo revisei o ar há muito tempo), qdo pisei no acelerador travou no maximo e me assustei... Desliguei na chave rapido.

Porem havia lembrado q a tampa do filtro de ar enrosca lá no cabo do acelerador , conforme a posição...

Remontei td e agora tá ok. Melhor dar uma acelerada com a mão no mecanismo com motor desligado antes de ligar o carro por desencargo de consciencia.

O motor do monza gritou alto coitado.

Abs.
monza club 1994 azul
ex-monza 1989 sle preto

Responder